BLOG DE: ESTUDOS DA ESCRITURA SAGRADA - YHVHSHÚA:


30/07/2011


onde procurar a SALVAÇÃO....????

            1. A introdução (1,5 – 4,13) comporta duas seções bem diferentes.

            As narrações da infância (1,5 – 2,52) são próprias a Lucas. De maneira sistemática, elas põem em paralelo as vidas de João Batista e de Yaohushua, enfatizando a subordinação do primeiro ao segundo. Elas apresentam sobretudo o mistério de Yaohushua em uma seqüência de mensagens sobrenaturais que o proclamam concebido do RÚKHA hol – RODSHUA, Filho de Yaohu (1,35), SALVADOR e CHRISTÓS YHVH (2,11), SALVAÇÃO DE YAOHU e luz dos pagãos (2,30.32) e, no entanto, votado à rejeição da massa de seu povo (2,34). No limiar do evangelho, antes da lenta manifestação do mistério que a continuação do livro vai relatar, essas revelações constituem um prólogo (cristológico) comparável ao do evangelho de João (Jo 1,1-18).

            O prelúdio da missão (3,1 – 4,13) comporta, como em Mateus e em Marcos, a missão de João Batista, o batismo de Yaohushua e sua vitória inicial sobre o tentador. Mas, neste conjunto, Lucas distingue nitidamente o tempo de João, que pertence ainda ao Antigo Testamento, e o de Yaohushua (3,20, nota); ele insiste na investidura messiânica que o Pai confere ao Filho após o batismo (3,22, nota); insere aqui a genealogia de Yaohushua, fazendo-a  remontar a Adão, para ressaltar o seu vínculo com a humanidade inteira (3,23-38); enfim, as últimas palavras da narrativa da tentação anunciam já o combate decisivo da Paixão (4,13).

            2. A primeira parte da missão de Yaohushua (4,14 – 9,50) é toda situada na Galiléia (cf.23,5; At 10,37), diversamente de Mt 15,21; 16,13 e Mc 7,24.31; 8,27. Lucas abre-a com a cena da pregação do Mestre na sinagoga de Nazaré (4,16-30), que prefigura toda a seqüência do evangelho: o anúncio da salvação fundado na Escritura e inspirado pelo RÚKHA, a alusão à salvação dos pagãos, a rejeição de Yaohushua por seus compatriotas e a tentativa assassina por eles empreendida. A narração da missão relata, em seguida os atos (sobretudo milagres) e as palavras de Yaohushua. Ele conduz os discípulos a um primeiro conhecimento aproximativo da sua pessoa.

 

            CAROS IRMÃOS E IRMÃS: LEIAM ISTO COM ATENÇÃO.:

 

            A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Christós e manifestar qual seja a dispensação do mistério, desde os séculos, oculto em Yaohu, que criou todas as coisas, para que, pela Igreja, a multiforme sabedoria de Yaohu se torne conhecida, agora, dos principados e postetades nos lugares celestiais.

 

            A ELES FOI REVELADO QUE, NÃO PARA SI MESMOS, MAS PARA VÓS OUTROS, MINISTRAVAM AS COISAS QUE, AGORA, VOS FORAM ANUNCIADAS POR AQUELES QUE, PELO RÚKHA hol – RODSHUA ENVIADO DO CÉU, VOS PREGARAM O EVANGELHO, COISAS ESSAS QUE ANJOS ANELAM PERSCRUTAR.

 

            Fazes a teus anjos ventos e a teus ministros, labaredas de fogo.

 

            Fizeste-o, por um pouco, menor que os anjos, de glória e de honra o coroaste [e o constituíste sobre as obras das tuas mãos].

 

 

            Muitas pessoas podem se perguntar: “Para que, ou para  quem, foi feita a “Bíblia”. Para que serve?”. Teriam várias interrogações, mas somente esta pergunta serve para ilustração do que quero falar nesse momento.:

            - O Antigo Testamento, falando simplesmente, é uma aliança com o povo judeu que acreditava em um “Deus” – único. Não tendo vários deuses nem idolatria...! Então, o AT., é a obra de Yaohu para libertar (seu povo) juntamente com o povo “gentio” que é idolatra! Sendo desta forma a Bíblia ou Escrituras Sagradas – se dividem em dois termos: O AT. – Que representa a história do povo e seu libertamento parcial (...). E, o NT. – Que foi feita uma nova aliança por Yaohu e, em nome do Filho, através de Yaohushua – somente com o poder do RÚKHA – YAOHU ESTENDENDO ASSIM O DOM DA LIBERTAÇÃO E PRINCIPALMENTE DA SALVAÇÃO PARA OS DE FORA, OU SEJA, OS NÃO JUDEUS – OS GENTIOS!

            Bem, desta forma já sabemos o que é o AT. Agora, vamos para o Novo Testamento, bem onde estamos: Nas Boas Novas – o EVANGELHO. Que nada mais é do que a Salvação – mas que primeiramente, veio para o seu povo... Que desprezando temporariamente quem a trouxe; essa Salvação foi direcionada há nós os gentios. Sendo nos dada através das epistolas de Saulo de Tarso – Paulo!

            É para essas duas coisas que as Escrituras Sagradas, querem nos mostrar, a nós, e a “anjos” que, convivendo com o Eterno Yaohu não conheceram a sua Santidade e o seu AMOR infinitos... O Antigo Testamento nos revela os erros, as maldades, as coisas que devemos saber mas nunca imitar. Somente houve salvação para os que se arrependeram puramente de coração – mas, sofreram as conseqüências do PECADO – mesmo estando mais pertos do que nós de Yaohu!

            Agora, é chegada a SALVAÇÃO – AS BOAS NOVAS – O EVANGELHO. TENHAM ISTO EM MENTE CAROS IRMÃOS E IRMÃS. A SALVAÇÃO JÁ NOS É E, FOI DADA ANTES MESMO ATÉ DE NASCERMOS... POR ISSO É IMPORTANTE ESTUDARMOS AS ESCRITURAS SAGRADAS E, ESTE, É O INTUITO DESTA APOSTILA. Seja humilde, sincero, limpo de coração. Faça o bem sempre, nunca pague o mau com mau. Faça aos outros o que você gostaria que lhe fizessem a você mesmo.... e, desta forma, você, estará seguindo as Escrituras Sagradas sem temer ou cair! {Ef 3,9-11; 1Pe 1,12; Sl 104,4;Hb 2,7}.

            EVANGELHO. A mensagem de salvação anunciada por Yaohushua Christós e pelos apóstolos (Rm 1,15). “Evangelho” em grego quer dizer “boa notícia”. Nome dado a cada um dos quatro primeiros livros do NT: MATEUS, MARCOS, LUCAS e JOÃO. Esses livros apresentam a vida e os ensinos de Yaohushua Christós.

            EVANGELISTA. Pregador que vai de lugar em lugar anunciando a boa-nova de Yaohushua Christós (At 21,8). O escrito de cada um dos quatro EVANGELHOS.

Escrito por anselmo.estevan às 22h59
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

onde procura a SALVAÇÃO...???

            EVANGELIZAR. Anunciar o EVANGELHO (Lc 4,18).

 

            Veja que interessante: O NT. Começa com a SALVAÇÃO! Primeiro vem a “história do seu povo”, depois o SALVAMENTO EM PRIMEIRO LUGAR! Então, aproveite isto. Nada é preciso para ser Salvo! Somente confiar no sacrifício que foi feito perfeitamente uma única vez por todos nós. A única coisa precisa é observar o ENSINAMENTO QUE NOS FOI DEIXADO PARA QUE ANDEMOS CONFORME A VONTADE DE YAOHU SOMENTE ISSO. [1Co 10,1-13]. Anselmo Estevan.

 

 

            Uma primeira seção (4,31 – 6,11), que segue bastante de perto a ordem de Marcos (1,16 – 3,6), apresenta Yaohushua em face da multidão, dos primeiros discípulos, dos adversários, nos milagres e nas controvérsias.

            A segunda seção (6,12 – 7,52), que não existe em Marcos, mas para a qual Mateus oferece paralelos dispersos, começa com o chamamento dos Doze e comporta, antes de tudo, o ensinamento de Yaohushua aos seus discípulos no discurso das Bem-aventuranças.

            A terceira seção (8,1 – 9,50), onde Lucas torna a emparelhar com a narrativa de Mc 4,1 – 9,40 (mas sem apresentar paralelo com Mc 6,45 – 8,26), associa estreitamente os Doze à missão de Yaohushua. Ela os menciona desde 8,1. O discurso em parábolas distingue, em seguida, entre os ouvintes de Yaohushua, aqueles que só merecem parábolas e aqueles aos quais “é dado conhecer os mistérios do REINO DE YAOHU” (8,10). Novos milagres, reservados aos discípulos, levam-nos a fazer a pergunta: “QUEM É ESTE?” (8,25). É então que os Doze são enviados a proclamar o Reino de Yaohu (9,1-6) {no meu entender, este fato volta a acontecer hoje em dia com a “adulteração do texto das Escrituras Sagradas”, pelo motivo de terem trocado seu nome verdadeiro[...]. Quem é este? Igual a um Deus que não tem nome? Ou sendo usado um substituto e nem sendo um título sagrado só alterando para “LETRAS MAIÚSCULAS” SEU TÍTULO ERRÔNEO = SENHOR =  Quem é este? Anselmo Estevan.} e participam ativamente da multiplicação dos pães (9,12). Enfim, Yaohushua pode intimá-los a se pronunciarem a seu respeito, e Pedro reconhece nele “o Christós (O UNGIDO) de Yaohu” (9,20). Esta primeira expressão do mistério de Yaohushua é imediatamente completada: pelo Mestre, que se define como o Messias votado à morte (9,22), e pelo próprio Pai, que proclama, na glória da Transfiguração, a filiação misteriosa de Yaohushua (9,35).

            3. A subida a Jerusalém (9,51 – 19,28) é a parte mais original da construção de Lucas. Boa parte do seu material se encontra, aqui e ali, em Mateus; há algo também em Marcos, mas Lucas é o único a apresenta-lo na moldura de uma viagem.

            Esta é introduzida por uma frase solene, que orienta a marcha de Yaohushua rumo ao acontecimento pascal, cujo cumprimento está próximo (9,51). O Mestre toma a estrada de Jerusalém, a cidade santa, onde se deve realizar a salvação. Duas outras menções à cidade por Lucas, em 13,22 e 17,11, podem delimitar três seções nesta parte; mas este seccionamento é apenas formal, pois as três seções não oferecem, entre si, nem continuidade geográfica, nem progressão doutrinal. A viagem não obedece à topografia (10,13-15 e 13,31-33 parecem ainda situadas na Galiléia; 13,34-35 supõe que Yaohushua já pregou em Jerusalém); não passa de um quadro literário artificial, que permite a Lucas reunir o seu material, colocando-o sob a luz da consumação pascal.

            Ao longo dessa parte, a palavra de Yaohushua prevalece sobre os milagres e a exortação sobre a apresentação do ministério de Christós (salvo, todavia, em 10,21-24; 12,49-50; 18,31-33 e 19,12-15). O Mestre se dirige sempre a Israel: o seu afrontamento com os fariseus e os doutores é severo (11,37-52); ele chama o seu povo a se converter (12,51 – 13,9) e arrosta a sua recusa (13,23-35; 14,16-24). Volta-se sobretudo para os seus discípulos, a fim de lhes definir a missão (9,52 – 10,20), para convida-los à oração (11,1-3) e à renúncia (12,22-34.51.53; 14,26-33; 16,1-13; 18,28-30). Uma grande parte desses ensinamentos aos discípulos refere-se a uma situação em que Yaohushua não estará mais presente no meio deles, e isso corresponde à perspectiva da viagem, ordenada pelo “arrebatamento” de Yaohushua (9,51): aproxima-se o tempo em que os discípulos terão de pedir o RÚKHA hol – RODSHUA (11,13), confessar o seu Mestre diante dos homens (12,1-12), esperar a sua volta (12,35-40; 17,22 – 18,8; 19,11-27), cuidar dos seus irmãos nas comunidades (12,41-48).

            Em 18,15, a narração de Lucas torna a encontrar o fio do de Mateus (19,15) e da de Marcos (10,13). Mas Lucas ajunta-lhe, no final, a narrativa da salvação de Zaqueu e sobretudo a parábola das minas (19,1-10.11-27). Na redação de Lucas, esta parábola prepara o trágico afrontamento entre Jerusalém e o rei que ela vai recusar-se a reconhecer (cf. 19,11 nota).

            4. A terceira parte da missão de Yaohushua (19,29 – 24,53) narra a realização da salvação em Jerusalém e faz da cidade a representante de Israel perante Yaohushua no drama da cruz. Lucas salienta isto fortemente na cena inicial da entrada de Yaohushua (19,29-48): o Mestre se apresenta como rei (vv. 35-38); chora sobre a cidade que vai recusar a sua vinda régia (vv. 41-44); manifesta a sua autoridade no Templo, do qual expulsa os negociantes e onde ensina todos os dias (vv. 45-48).

            A revelação de Yaohushua a Jerusalém comporta as mesmas três seções que há em Mateus e Marcos, mas Lucas introduz matizes que lhe são próprios.

            O ensinamento no Templo (20 – 21) se conclui com o anúncio do julgamento de Jerusalém e da vinda do Filho do homem. Lucas dirige esses anúncios a todo o povo de Israel (cf. 2,15 nota. 20 nota).

            A narrativa da Paixão (22 – 23) segue o mesmo esquema que os outros evangelhos; mas o relato da Ceia se prolonga com ensinamentos aos Doze a respeito do seu papel de servos, sobre a sua grandeza no Reino futuro e sobre a nova situação que passarão a viver, {[Vê: ESTOU BATENDO À PORTA. Se alguém escuta meu chamado a abre a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele comigo.]. O “EVANGELHO”, nada mais é do que a CEIA COM YAOHUSHUA – a mesa está posta. A entrada em seu

Escrito por anselmo.estevan às 22h58
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

onde procurar a SALVAÇÃO...???

Reino. Ceie, você, também, com Yaohu. A ceia nada mais é do que a observação, e, o entendimento correto das Escrituras Sagradas – A entrada em seu Reino. Não fique de fora pois o chamado já foi feito!}. Anselmo Estevan. (Ap 3,20; abra seu coração à Yaohushua – através de seu RÚKHA – YAOHUSHUA!), quando o Mestre se for (22,24-38). Os sofrimentos suportados por Yaohushua fazem sobressair a sua justiça e o valor exemplar do seu martírio. Na humilhação do Messias, afirmou-se a sua Realeza já presente (cf. 22,69 nota; 23,37 nota).

            As narrativas da Páscoa (24) são todas localizadas em Jerusalém. Elas não mencionam a antiga tradição das aparições na Galiléia (Mt 26,32; 28,7.10.16-20; Mc 14,28; 16,7; Jo 21), sem dúvida para guardar melhor a simetria com o livro dos Atos. Essas narrativas interpretam a Paixão como caminho querido por Yaohu, para conduzir o Christós à sua glória (v. 26), e mostram esta vontade divina anunciada por Yaohushua – O UNGIDO (v. 7) e inscrita nas ESCRITURAS SAGRADAS (vv. 25-27.44-46).

           

            {Bem, aqui quero deixar o termo “ESCRITURAS SAGRADAS”; e o termo “BÍBLIA” suas conotações}:

 

            {BÍBLIA – a coleção de escritos considerados pela Igreja cristã como inspirados por Deus Yaohu. O termo “Bíblia” é de origem grega e quer dizer “livrinhos”. A Bíblia tem 66 livros e se divide em duas partes: ANTIGO TESTAMENTO (39 livros) e NOVO TESTAMENTO (27 livros). O AT foi escrito em HEBRAICO, com exceção de alguns trechos escritos em ARAMAICO. O NT foi escrito em GREGO.}.

 

            {ESCRITURA: ESCRITA (Êx 32,16). Documento de registro de um contrato (Jr 32,10, RA). Aquilo que está escrito (Dn 5,8). Parte do texto inspirado (Mc 12,10)}.

           

            {ESCRITURAS, ESCRITURAS SAGRADAS: NOMES dados ao conjunto dos livros SAGRADOS JUDEUS (Mt 22,29). Esses livros são conhecidos entre os cristãos pelo nome de Antigo Testamento}. [Anselmo Estevan.].

 

            Yaohushua, finalmente, aparece aos Onze para triunfar sobre as dúvidas deles (vv. 36-43) e investi-los da missão de testemunhas (vv. 47-49). O livro termina com uma primeira narração da Ascensão (v. 51), que manifesta a Glória do Ressuscitado (cf. At 2,36 [IGUAL A YAOHU]) Anselmo Estevan.

            Assim, todo o evangelho mostra a revelação progressiva do ministério de YHVH – YAOHUSHUA, E O GRADUAL CONHECIMENTO DESSE MINISTÉRIO POR PARTE DAQUELES QUE TERÃO DE PREGAR A MENSAGEM DO EVANGELHO!

 

 

            O termo de Yaohushua e o tempo da Igreja. 1. Como Lucas pretende consagrar um segundo livro à pregação dos apóstolos, ele pode patentear, mais nitidamente que Mateus e Marcos, as diferenças entre o tempo de Yaohushua e o tempo da Igreja.

            O seu evangelho mostra a ação de Yaohushua, consagrada somente a Israel. Ele indica, por certo, a perspectiva universalista da mensagem da salvação, mas sempre em anúncios sobre o futuro (2,32; 3,6; 13,29; 14,16-24) ou em prefigurações tipológicas (3,23-38; 4,25-27; 7,9; 8,39; 10,1; 17,11-19). É somente o Ressuscitado que ordena a missão aos pagãos (24,47-48).

            Esta missão, os portadores da mensagem a realizarão graças ao dom do “RÚKHA” (24,29; cf. 12,12). Mas no evangelho, Yaohushua, que é concebido do RÚKHA (1,35), é o único a agir com a potência desse “RÚKHA” (3,22; 4,1.14.18; 10,21).

            Nas narrações da infância, Simão anuncia a rejeição de Yaohushua por “muitos em Israel” (2,34-35). Esta rejeição se opera, pouco a pouco, no decurso do evangelho, mas não é inteiramente consumada pela cruz (cf. 23,34), visto que, após Pentecostes, os apóstolos chamarão ainda os judeus de Jerusalém à conversão e à salvação.

            2. Mostrando tão claramente a distinção entre o tempo de Yaohushua  e o tempo da Igreja, Lucas quer pôr em plena luz as etapas da obra de YAOHU na história. Mas tal apresentação dos acontecimentos nunca o faz esquecer que a salvação é dada de uma vez por todas em YAOHUSHUA CHRISTÓS – O UNGIDO. Desde o começo do evangelho, ele insiste no hoje da salvação (2,11; 3,22; 4,21; cf. 5,26; 19,9; 23,43). Pois, desde o primeiro instante de sua existência, Yaohushua é o Filho de Yaohu (1,35), O SALVADOR (2,11; cf. 1,69.71.77; 2,30; 3,6), o Yaohu (2,11. cf. 7,13 nota sobre a insistência de Lucas em dar este título a Yaohushua); [deixando, aqui, bem claro que: o Filho – têm o Nome do Pai! Anselmo Estevan]; e a sua pregação se inicia com a mensagem da salvação dirigida aos pobres e aos pequenos, que são os seus destinatários privilegiados (4,18; cf. 7,22; 10,21).

Escrito por anselmo.estevan às 22h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

onde procura a SALVAÇÃO.......????

Ao descrever o tempo de Yaohushua,Lucas já pensa na Igreja. Mais freqüentemente do que Mateus e Marcos, ele dá aos Doze o título de apóstolos [veja que aqui, entra Judas – o traidor...! Anselmo Estevan] (cf. 6,13 nota). Pensa em suas responsabilidades nas comunidades (9,12; 12,41-38) e nos auxiliares da sua missão (10,1; cf. 8,2-3.39).

            Mais ainda, ele se preocupa em mostrar, no ensinamento de Yaohushua, a regra de vida dos discípulos para “cada dia” (9,23; 11,3; 17,4). Insiste sobre a conversão inicial (5,32; 13,1-5; 15,4-32, e sobretudo as cenas de 7,36-50; 19,1-10; 23,39-43), sobre a fé (1,20.45; 7,50; 8,12-13; 17,5-6; 18,8; 22,32; 24,25), que deverá se exprimir pela confissão do Yaohu (12,2-12; 21,12-19), sobre a oração (11,1-13; 18,1-8; 21,36; 22,40.46), segundo o exemplo reiterado de Yaohushua (cf. 3,21 nota), sobre a caridade, que apresenta como o ensinamento essencial do discurso aos discípulos (6,27-42; cf. 10,25-37; 17,3-4); propõe freqüentemente que esta caridade se manifeste pela esmola (cf. 11,41 nota), que realiza, ao mesmo tempo, o seu ideal de renúncia ao dinheiro (cf. 5,11 nota, 14,33 nota). [pode ser que muitos não concordem com o que vou falar mas eu não vejo hoje em dia uma “igreja” – “RENUNCIAR AO DINHEIRO...?”] Anselmo Estevan. Essas exigências são rigorosas, e, no entanto, a alegria explode neste evangelho mais do que em todos os outros: Perante os anúncios de SALVAÇÃO (1,14.28.41.44; 6,23; 8,13), as suas manifestações no advento de Yaohushua (1,47; 2,10), os milagres (10,17; 13,17; 19,37), o acolhimento da mensagem (10,21) e a conversão dos pecadores (15; 19,6), a Ressurreição (24,52): a SALVAÇÃO de Yaohu é CHAMAMENTO À ALEGRIA!

            3. Yaohushua anunciava a sua vinda no fim dos tempos, e Lucas mantém essa perspectiva no término do tempo da Igreja (12,35-48; 17,22-37; 18,8; 19,11-27; 21,5-36); mas a sua insistência na salvação presente, no UNGIDO (YHVH) pascal de Yaohushua, na ação do RÚKHA sobre a Igreja atenua nele a tensão orientada para a parusia iminente (cf. 17,23 nota). A sua esperança é toda banhada na alegria do hoje da salvação. A ruína de Jerusalém, que ele anuncia repetidas vezes em seu evangelho (cf. 19,27 nota). Perde em Lucas o seu caráter escatológico; ela nada mais é do que um acontecimento histórico, o castigo dos responsáveis pela morte de Yaohushua.

 

 

         A obra literária de Lucas. Lucas utiliza em seu evangelho boa quantidade de material que lhe é comum com Mateus e Marcos, mas também muitos elementos que lhe são próprios (cf. Introd. aos Sinóticos). Estes elementos são muito variados. São narrações como as da infância (1 – 2), alguns milagres (7,1-17; 13,10-17; 14,1-6; 17,12-19), cenas de conversão (7,36-50; 19,1-10; 23,40-43), intervenções de Herodes (13,31-33; 23,8-12; cf . 8,3 nota), as aparições pascais (24,13-35.36-53)..., ensinamentos e, sobretudo, uma série de parábolas: o bom samaritano (10,30-37), o amigo que é preciso acordar (11,5-8), o rico insensato (12,16-21), a figueira estéril (13,6-9), o construtor, e o rei que parte para a guerra (14,28-33), a moeda e o filho reencarnado (15,8-10.11-32), o gerente astuto (16,1-8), o rico e Lázaro (16,19-31), o servo que não faz mais o seu dever (17,7-10), o juiz que se faz de rogado (18,1-8), o fariseu e o coletor de impostos (18,9-14).

 

         (Bíblias consultadas: Bíblia Tradução Ecumênica. Bíblia de Estudo de Genebra – Edição Revista e Ampliada. Bíblia de Estudo de Aplicação Pessoal. Dicionário da Bíblia de Almeida [SBB]. Estudo – “Apostila” de todos os livros do NT – INTRODUÇÃO À BÍBLIA. Feita por: Anselmo Estevan. Com formação de Bacharel em Teologia pela Faculdade Ibetel de Suzano. Em defesa ao NOME do Criador – Yaohu – Seu Filho Yaohushua. Sendo está só uma amostra da minha APOSTILA!). [(Livro Evangelho de Lucas.)]. Anselmo Estevan.

Escrito por anselmo.estevan às 22h56
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

UM TRECHO DE POSTAGEM DO MEU...VEJA ABAIXO:

         (5945): (‘Elyôn) de (5927); Uma elevação, i.e., (Adjetivo) elevado (comparativo); COMO TÍTULO, O SUPREMO: - ALTÍSSIMO, MAS ALTO, EXALTAR, EXALTADA, DE CIMA, ALTA, SUPERIOR, MAIOR, MAIS ELEVADO.

         Substantivo masculino que significa altíssimo, o altíssimo. A palavra serve de epíteto para Deus e é usada trinta e uma vezes no Antigo Testamento. O mais célebre emprego desta palavra se dá em Gênesis 14,18-20: Melquisedeque era sacerdote do Deus Altíssimo (‘El ‘Elyôn). [aqui, sendo usado um termo que se refere a “deuses” – “(‘el)”. Quando o correto – seria “(‘Ul)” seria como o “Supremo Altíssimo do Deus”! Mas fica como: ‘El – deuses ALTÍSSIMO TODO-PODEROSO!!!!! O QUE DISCORDO EM GRAU, GÊNERO E NÚMERO]. GRIFO MEU. ANSELMO. Voltando ao texto, de modo que a palavra no contexto define o Deus a quem Melquisedeque servia. Mas nesta mesma passagem, Abraão igualou o Deus Altíssimo ao Senhor seu Deus, o Criador do céu e terra (Gn 14,20). Em Nm 24,16, este epíteto está em paralelo com o epíteto Deus e Shaddai; ele descreve o Deus que deu a Balaão seu conhecimento e suas visões. Este termo também vem em PARALELO COM OUTROS NOMES DE DEUS, tais como o SENHOR (Dt 32,8; 2Sm 22,14; Sl 18,13[14]); e Deus (Sl 46,4[5]; 50,14).

         Vamos ao meu grifo: “Outros nomes? E o seu NOME verdadeiro? Temível e Terrível, Santíssimo e Sagrado que por homens estudiosos da Palavra falam que não somos dignos de nossos lábios pronunciarem seu NOME! Como fica? Seu NOME????? Um nome que foi blasfemado (Lv 24,10-16; Dt 28,15-58.59; etc)”. Grifo meu Anselmo Estevan.

         (5927): (‘Alah) raiz primitiva; subir, intransitivo (ser alto) ou ativo (ascender); usado numa grande variedade de sentidos, primários e secundários, literais e figurados (como segue): - (fazer, ao) subir (da alva), romper [o dia], sair, cair, ter subido, passar, ser posto, ser registrado, escalar, sobrepujar, ser excelente, ser superior, trepar, curar, certamente, oferecer, ser tomado, pesar, rebento, brotar, crescer, retirar(-se), ir crescendo, importar, remontar, levantar, cobrir, acender, lançar, deitar [pó] sobre, reduzir, fazer tributário, preferir, suscitar, restaurar, RUMINAR.

         Verbo que significa subir, ascender, retirar, levantar, oferecer. Esta palavra hebraica traz consigo a conotação de um movimento ascendente. É usada, de modo geral, para indicar uma ascensão a um lugar mais elevado (Nm 13,17); uma partida em direção ao norte (Gn 45,25); o vôo de uma ave (Is 40,31); o brotar das plantas (Is 34,13); a preferência de uma coisa por outra (Sl 137.6); e a oferta de um sacrifício (Jz 6,28; 2Rs 3,20). Teologicamente significativo é o fato de que este verbo é usado para o comparecimento de uma pessoa diante de Deus. A pessoa precisa subir para comparecer diante do SENHOR (Êx 34,24; veja também Gn 35,1). (ESSAS DUAS MENSAGENS, FAZEM PARTE DE UM ESTUDO DO MEU SEGUNDO BLOG QUE EMBREVE SERÁ POSTADO NESSE BLOG. COMO É UM MATERIAL MUITO GRANDE NÃO CABE NESSE BLOG...(VER EM: ANSELMO-ESTEVAN.BLOGSPOT.COM/ ).OBRIGADO. NÃO ESQUECER DE ESCREVER TUDO MINUSCULO E JUNTO E COM O HTTP:// NA FRENTE DO ENDEREÇO ELETRONICO SE NÃO ENTRAR.....!!! ANSELMO.

Escrito por anselmo.estevan às 17h09
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

UM TRECHO DE POSTAGEM DO MEU SEGUNDO BLOG.

Grifo meu: “SENHOR” ! Mas que SENHOR? Qual seu nome? SENHOR! Isso não é nome: SENHOR - ser chamado de SENHOR????

         (428): (‘Elleh) forma prolongada de “(411)”; estes ou aqueles: - um outro, o outro, um tipo, assim, alguns, estes, eles, estes mesmos, ele, aqueles, assim, os quais, QUEM, A QUEM.

         (411): (‘EL) PARTÍCULA DEMONSTRATIVA [MAS SOMENTE NUM SENTIDO PLURAL] ESTES OU AQUELES – ESTES.

         COMPARE COM (428). {VIRAM???!!!! ESSE NÃO É MEU GRIFO! É O QUE EXATAMENTE A PALAVRA “EL” – SIGNIFICA – PLURAL – OU SEJA: “DEUS” NO PLURAL – “DEUSES” – QUEM? ESTES? AQUELES? VIRAM????? POR ISSO MESMO LEVANTO SEU NOME ÚNICO At 4,12; 1Tm 2,5-6! OU ESTOU ERRADO? E DEVO CONTINUAR COM “SENHOR”! DE FORMA ALGUMA!!!!!! ANSELMO ESTEVAN – AGORA SIM TEM MEU GRIFO....MAS COM PASSAGENS DA BÍBLIA QUE FALAM A MEU FAVOR.....E A PALAVRA DE YAOHU DEUS COM NOME NÃO SE CONTRADIZ......ÉÉÉÉÉ!!!!!}. GRIFO MEU.

         (352): (‘Ayil) da mesma raiz que (193); provavelmente força; donde alguma coisa forte, particularmente um chefe (em termos políticos); também um carneiro (por sua força); uma pilastra (por ser forte apoio); um carvalho ou outra árvora resistente: - (HOMEM) PODEROSO, verga de porta ou janela, carvalho, pilar, carneiro, árvore.

         [193] (‘UL) de UMA RAIZ DESUSADA QUE SIGNIFICA TORCER, I.E., (POR IMPLICAÇÃO) SER FORTE; O CORPO (POR SER TODO ENROLADO); TAMBÉM PODEROSO: - FORTE, PODEROSO, FORÇA.

         Agora, vamos ao meu Grifo: Ta vendo como são as coisas? O único termo de UM TÍTULO NOBRE QUE DENOTA UM ÚNICO “DEUS” COM NOME PRÓPRIO! QUE NÃO LEVA “SENHOR” – OU “DEUSES” – “DIVINDADES”; ETC. NÃO É USADA....!!!!!! Vamos a alguns termos títulos nobres de Deus Yaohu:

         - ODMORUL (GOVERNANTE).

         - ‘UL SHUAODAI (SUPREMO – TODO-PODEROSO).

         - ‘UL ULION (SUPREMO ALTÍSIMO).

         - ‘UL OLMAN (SUPREMO ETERNO).

         - ‘UL CABOR (SUPREMO VALENTE).

         - [YAOHU] ULHIM (SUPREMO COMPOSTO).

         - [YHVH] TZAVULIÃO (YHVH DOS EXÉRCITOS)!

         Por isso mesmo que esse “Deus” – foi esquecido.....!!!!! E o que corrobora com a situação toda – são somente: “Títulos” e mais títulos – que além de não serem nobres obtiveram tão alto grau de padrão – a fazer-se esconder SEU NOME ÚNICO E PRÓPRIO DE UM ÚNICO DEUS VIVO, E PARA PIORAR POR VONTADE HUMANA E NÃO DELE PRÓPRIO; QUE É UM DEUS DE AMOR, DE PODER E DE LUZ INACESSÍVEL A QUALQUER HOMEM MORTAL, – MAS COM PODER DE MUDAR A SUA GLÓRIA EM IMAGENS E NOMES DE ÍDOLOS MORTAIS QUE NADA VALEM E DE NENHUMA SERVENTIA TEM, ISSO FIZERAM COM O “DEUS” QUE ADORAM.....Rm  1,18-21; 2,24; 11,1-4.....!!!!!! Veja também: (Gn 3,3.6-7.22; 1Co 8,5-7; 2Co 4,1-6). Pois a nós “MORTAIS” cabe, a nós mesmos, em nossas consciências VOLTARMOS NOVAMENTE EM ARREPENDIMENTO E O “CONHECIMENTO” – COM “ENTENDIMENTO [Os 4,6] – A ADORA-LO EM VERDADE E ESPÍRITO NO SEU NOME CORRETO PRÓPRIO E ABSOLUTO ACIMA DE QUALQUER COISA SOMENTE {JOÃO 8,32; JOÃO 4,22-24 – POIS SÓ UM NÃO FOI LIBERTO PELA VERDADE POIS ESCOLHEU A MENTIRA: JOÃO 8,44 [Jo 8,31-58]; POR ISSO CITO JOÃO 4,23; ROMANOS 8,15!” GRIFO MEU – ANSELMO ESTEVAN}.

 

         BEM, AGORA VAMOS: A, MAIS UM ESTUDO TIRADO DO DICIONÁRIO BÍBLICO: HEBRAICO-PORTUGUES. EDITORA: PAULUS. AUTOR: LUIZ ALONSO SCHÖKEL. {OBS. O Texto acima também é da mesmo dicionário...!!ok.}. Anselmo.

 

         dEUSES (OUTROS deuses):

SE VC., GOSTOU DESTE MATERIAL, AGUARDE POSTAGEM NO MEU BLOG: ANSELMO-ESTEVAN.BLOGSPOT.COM/

 

Escrito por anselmo.estevan às 17h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

29/07/2011


TRINDADE: O CRENTE CONHECE O QUE ADORA?

         A TRINDADE: UM SÓ DEUS!

 

         O judaísmo, o islamismo e várias seitas do cristianismo (eu chamo de: Messianismo – seguidor do Messias!) muitas vezes acusam os “cristãos” ortodoxos de adorarem três Deuses: O Pai, o Filho e o Espírito Santo ([YHVH], YHVH – [Yaohushua], YHVH – [Rúkha hol – RODSHUA]) – Grifo meu. Essa acusação reflete uma compreensão seriamente distorcida do “cristianismo” afirma que um único Deus existe numa Trindade; Deus possui três “Pessoas”, mas apenas uma “essência”.

         Tertuliano (160-220 d.C.) foi o primeiro a formular a doutrina da Trindade, quando falou de “Pessoas” e “Essência”. Escreveu que Deus (Yaohu) existe em “três Pessoas, - o Pai, o Filho e Espírito Santo: três, não em condição, mas em grau; não em substância, mas em forma; não em poder, mas em aspecto, todavia de uma única substância, e de uma única condição, de um único poder, assim como ele é um Deus, de quem três formas e aspectos são percebidos, sob o Nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo” (contra práxeas, cap. 2). A doutrina da Trindade foi afirmada, em princípio, no Concílio de Nicéia (325 d.C.) e teve repercussões posteriores no Concílio de Constantinopla (381 d.C.). Esses concílios declararam solenemente que essa doutrina havia sido transmitida à Igreja pelos próprios Apóstolos.

         O credo reconhecido pela maioria das igrejas de hoje como Credo Niceno (que, na verdade, foi formalizado no Concílio de Constantinopla em 381 d.C.) é possivelmente, a formulação antiga mais conhecida da doutrina na Trindade, Considera o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Yaohu; Yaohushua; Rúkha hol – RODSHUA) claramente como pessoas individuais dentro do Ser divino. Em sua Carta Sinodal de 382 d.C., o Concílio de Constantinopla também formulou a versão ecumênica mais antiga dessa doutrina ao empregar os termos “pessoa” e “essência”: “Há uma única Divindade, um único Poder e uma Única – Substância do Pai e do Filho e do Espírito Santo, de igual dignidade e igual majestade nas três hipóteses perfeitas ou seja, nas três pessoas perfeitas” (PNPN 2, vol. 14; pp 188-190).

         Em essência a ideia é que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são centros coiguais e coeternos de auto consciência, cada um sendo “EU” em relação aos outros dois que são “VÓS” e cada um participando da essência divina plena juntamente com os outros dois. Não são três papeis diferentes desempenhados pela mesma pessoa (modalismo), nem três deuses reunidos num conjunto (triteísmo). As três Pessoas estão eternamente juntas e em cooperação. Cada Pessoa está envolvida em tudo o que as outras fazem, pois o Pai está no Filho e o Filho está no Pai (Jo 10,38), e o Espírito Santo é tanto Espírito de Deus (Rúkha de Yaohu) quanto Espírito de [Christós] (Rúkha do Mashiach -“Yaohushua”). {Rm 8,9}. No entanto, as “ESCRITURAS” também enfatizam distinções gerais entre as obras das três Pessoas, sendo que o Pai inicia, o Filho concorda e o Espírito Santo executa a vontade conjunta dos três. Devemos dedicar a mesma atenção e honrar à três Pessoas, lembrando-nos que adoramos somente um Deus (Yaohu) nessas três Pessoas.

         Embora a doutrina da Trindade não seja afirmada explicitamente na “Bíblia”, é uma síntese apropriada dos ensinamentos das Escrituras a esse respeito. O Antigo Testamento afirma a existência de somente um Deus, o Criador que revelou a si mesmo e que deve ser adorado e amado de maneira exclusiva (Dt 6,4-5; Is 44,6 – 45,25). O Novo Testamento concorda (Mc 12,29-30; 1Co 8,4; Ef 4,6; 1Tm 2,5) referindo-se, porém a três agentes pessoais plenamente divinos: O Pai, o Filho e o Espírito Santo. O Novo Testamento afirma a divindade de (Yaohushua) e mostra que é apropriado adora-lo e orar a Ele (Jó 1,1-5; 20,28-31; cf. Jo 1,6-18; At 7,59; Rm 9,5; 10,9-13; 2Co 12,7-9; Fp 2,5-6; Cl 1,15-17; 2,9; Hb 1,1-12; 1Pe 3,15) também indica que o Espírito Santo é um “Consolador” como o Mashiach (Yaohushua) [Jo 14,16] e que é, no mínimo, tão maravilhoso e precioso para a Igreja quanto o YHVH encarnado (Jo 14,16-17.26; 15,26-27; 16,7-15). A fim de ser tão valioso para a Igreja quanto (Yaohushua), o Espírito Santo também deve ser Deus – (Yaohu), um fato que a Igreja reconheceu desde o princípio (At 5,3-4).

         O próprio Mashiach pressupôs a doutrina da Trindade ao instituir o batismo “em NOME do Pai (“Yaohu”), e em NOME do Filho (“Yaohushua”) e em NOME do Espírito Santo (“Rúkha hol – RODSHUA”) [Mt 28,19] – as três Pessoas compartilham um único NOME porque são UM ÚNICO DEUS! [“HU”] DO HEBRAICO – “ELE”. E O [“SHUA”] DO HEBRAICO – “SALVAÇÃO” – QUE “SENHOR” NÃO TÊM!!!!!!!!! E, PRA PIORAR VÊM DE: “ADULTERAÇÃO” DO TETRAGRAMA SANTÍSSIMO E SAGRADO YHVH!!!!!!!!!!!!!! E, FOI CORROMPIDO DE (ADONAY) – PARA SE TORNAR -  UM NOME PRÓPRIO – “SENHOR”! ERRO GRAVE!

Escrito por anselmo.estevan às 18h36
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

TRINDADE....

         “YESHUA” EM HEBRAICO DERIVA DA PALAVRA EM TRANSLITERAÇÃO PARA O PORTUGUÊS – “JOSUÉ” – “TEM SÓ O “NOME DE SALVAÇÃO” – MAS, NÃO PODE SALVAR!!!!! PORQUE CONTRADIZ A “ESCRITURA SAGRADA!!!!!!!” – VEJA: At 4,12; Fp 2,9-11; (Lc 1,31); [Mt 1,21; At 10,43; 1Tm 2,5-6; (Jo 14,6)] – POIS NÃO HÁ VÁRIOS DEUSES E VÁRIOS NOMES OU TÍTULOS QUE SALVEM!!! MAS, À SALVAÇÃO EXISTE E HÁ EM UM E SOMENTE UM ÚNICO NOME QUE NÃO É DE SEMENTE CORRUPTÍVEL MAS DE SEMENTE INCORRUPTÍVEL E EM VERDADE QUE LIBERTA (E NÃO QUE APRISIONA)! EM UM RÚKHA (ESPÍRITO)! POIS A TRINDADE TEM QUE COMPARTILHAR O TEXTO NO CONTEXTO DA FRASE DO SEU VERBO ÚNICO: “EU SEREI O QUE SEREI – EU SOU”!!!! “ELE” -  AQUELE EM CIMA – “YAOHU”! (ÊX 3,15; 6,2-3; Jo 1,1-14; Ap 19,13; Jr 14,9; 1Tm 2,5; ETC.). Também encontramos a doutrina da Trindade em passagens que mostram as contribuições iguais de cada Pessoa. Por exemplo, no batismo de Yaohushua, o Pai reconheceu o Filho e o Espírito mostrou a sua presença na vida e no ministério do Filho (Mc 1,9-11). Em Ef 1,3-14, lemos que a SALVAÇÃO é uma obra operada pela Trindade: o Pai elege, o Filho realiza e o Espírito aplica. Muitas outras passagens do Novo Testamento falam do Pai, do Filho e do Espírito Santo como Pessoas da mesma posição e importância (p. ex., Rm 15,16; 2Co 13,14; Hb 9,14; 1Pe 1,2). Embora a linguagem técnica teológica usada para descrever a Trindade (isto é, “três Pessoas, uma essência”) não seja usada no Novo Testamento, a fé e o pensamento trinitários estão presentes em todas as suas páginas.

         Devemos reconhecer, portanto, que a Trindade é uma doutrina bíblica!

 

         Material tirado da: Bíblia de Estudo de Genebra – Edição: Ampliada e Revista. Com observações e grifos de: Anselmo Estevan. Com formação de Bacharel em Teologia pela Faculdade – Ibetel em Suzano. Anselmo Estevan.

Escrito por anselmo.estevan às 18h35
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

28/07/2011


PRIMEIRA PÁGINA: RÚKHA hol - RODSHUA! QUEM É ELE???

            O ESPÍRITO SANTO [RÚKHA hol – RODSHUA]:

 

         (DICIONÁRIO DA EDITORA: AGNOS. “O ANTIGO TESTAMENTO” INTERPRETADO VERSÍCULO POR VERSÍCULO. AUTOR: “R. N. CHAMPLIN, Ph D.”).

         ESTUDO FEITO POR ANSELMO ESTEVAN. COM FORMAÇÃO DE BACHAREL EM TEOLOGIA PELA FACULDADE IBETEL (SUZANO) – EM DEFESA DA TERCEIRA PESSOA (E.S. EXISTE?). COM A OBSERVAÇÃO DOS NOMES DA TRINDADE, SER GRIFO MEU!

 

 

 

         ESPÍRITO (RÚKHA) DE DEUS (YAOHU).

         Esboço.

         I. Operações Históricas entre os Homens.

         II. Nomes do Espírito (Rúkha).

         III. O Espírito (Rúkha) é uma Pessoa.

         IV. Sumário de Qualidade e Atribuições.

         V. Espírito (Rúkha) da Verdade.

         VI. Testemunha da Salvação dos Crentes.

         VII. A Obra e a Orientação do Espírito (Rúkha).

         VIII. Autor de Inspiração.

         IX. O Espírito (Rúkha) de Cristo (Christós) é o Espírito (Rúkha) de Deus (Yaohu).

         X. Dons do Espírito (Rúkha) SEPARADAMENTE EM OUTRO ESTUDO!

 

         I. Operações Históricas entre os Homens.

 

         1. Ele atuou na criação, Gn 1,2 mas como agende de Deus (Yaohu), em relação aos homens, nas páginas do AT, o Espírito Santo (Rúkha hol RODSHUA) não era outorgado como dádiva permanente. Aparentemente isso sucedia até mesmo no caso dos profetas, embora seja seguro pensarmos que os homens mais profundamente espirituais daquele período possuíam o dom do Espírito (Rúkha) por tempos mais dilatados que o comum. (Ver Ml 2,15; e Sl 51,11). A operação do Espírito Santo (Rúkha hol RODSHUA), nos tempos do AT, era equivalente ao que sucede no período neotestamentário, pelo menos em termos gerais, excetuando o fato de que ele então não habitava permanentemente no crente, conforme sucede aos crentes do NT, segundo é expressamente ensinado nas Escrituras. No AT o Espírito Santo (Rúkha hol –

Escrito por anselmo.estevan às 00h39
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 2ª P.

RODSHUA) é retratado a lutar com os homens (ver Gn 6,3), a ilumina-los (ver Jó 32,8), a dar-lhes forças especiais (ver Jz 14,6.19), a conceder-lhes sabedoria (ver Jz 3,10; 6,34), a outorgar-lhes revelações (ver Nm 11,25 e 2Sm 23,2), a outorgar-lhes revelações (ver Nm 11,25 e 2Sm 23,2), a prestar-lhes instruções sobre a sabedoria, o entendimento, o conselho, o poder, a bondade e o temor de Deus (Yaohu) [ver Is 11,2] e a administrar-lhes a sua graça (ver Zc 12,10).

         2. Durante a vida terrena de (YHVH – Yaohushua) [Senhor Jesus, pelo livro DA EDITORA AGNOS...], a atuação do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) acompanhava as linhas gerais estabelecidas no AT, com a exceção que houve então a promessa da vinda do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) como alter ego de Cristo (Christós), como quem haveria de dar continuidade à presença e à obra de Cristo (Christós) no mundo, como agente de sua personalidade. (Ver João 14,15-17.25.26; 15,27; 16,5-15). O Senhor Jesus (O YHVH – Yaohushua) ensinou aos seus discípulos, quando de sua presença entre os homens, que o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) lhes seria dado em resposta às suas orações. (Ver Lc 11,13).

         3. Quando do encerramento de seu ministério terreno, Jesus (Yaohushua) prometeu que ele mesmo rogaria ao Pai, a fim de que o dom do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) fosse amplamente outorgado aos seus seguidores. (Ver João 14,16.17).

         4. Na noite do dia em que ressuscitou, Cristo (Christós – O UNGIDO O MESSIAS – Mashiach) deu aos seus discípulos, no cenáculo, um balejo preliminar do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA), como promessa e garantia do dom mais completo que se seguiria, ao soprar sobre eles, provavelmente no mesmo cenáculo. (Ver João 20,22).

         5. No dia de Pentecostes, o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) desceu sobre todos quantos estavam reunidos no mesmo cenáculo, em um total de cerca de 120 pessoas. Não se há de duvidar que essa dádiva do Espírito (Rúkha) envolveu mais do que os doze apóstolos, segundo fica subentendido no trecho de Atos 2,14, como também na profecia de Joel, conforme Simão Pedro mencionou em seu sermão, como interpretação daquela extraordinária ocorrência, que acabara de suceder. Ver (Atos 2,16-21 e Joel 2,28-32). Essa profecia revela-nos como o Espírito (Rúkha) haveria de ser derramado sobre toda a carne, de modo pleno e transbordante. Os cento e vinte irmãos reunidos no cenáculo, pois foram os primeiros a experimentar isso.

         6. O restante da história diz respeito a como esse dom se expandiu a ponto de abarcar todos os povos; tanto aos judeus (evidentemente através da imposição de mãos, como método principal – ver Atos 8,17 e 9.17) como aos

Escrito por anselmo.estevan às 00h35
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 3ª P.

gentios (sem imposição de mãos, mas assim exerceram fé – ver Atos 10,44 e 11,15-18).

         7. Todo crente deve possuir o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA), pois de outro modo nem crente é. Isso pelas seguintes razões: A. Todo crente é nascido do Espírito (Rúkha) [ver João 3,3.6 e 1 João 5,1]. B. Todo crente é habilitado pelo Espírito (Rúkha) [ver 1Co 6,19; Rm 8,9-15; 1 João2,26 e Gl 4,6], e é assim que o crente se torna templo de Deus (Yaohu). C. Todo crente possui o que se chama de batismo do Espírito (Rúkha) [ver 1Co 12,12.13; 1 João2,20.27]. D. Esse batismo é o selo de Deus (Yaohu) que lhe assegura a obra final e completa da graça divina em sua vida (ver Ef 1,13 e 4,30).

         8. Mas nem  todo crente é igual aos demais, na questão da experiência da presença habitadora do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) ou da vida espiritual que ele nos concede (ver Atos 2,4 em comparação com Atos 4,29-31). Esses passos bíblicos mostram-nos que até mesmo os discípulos originais, que miraculosamente receberam o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA), no dia do Pentecostes, depois receberam-no novamente, da maneira notável. Com base nessa informação, podemos supor que não há limites para o que o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) pode e que fazer na vida do crente, dependendo das circunstâncias e da obediência pessoal a quem o Espírito (Rúkha) infunde. Outrossim, nem todos os seguidores de Cristo (Christós) são iguais na questão dos dons que o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) dá, porque isso depende, por semelhante modo, da experiência espiritual que o indivíduo tem com Deus (Yaohu), de sua obediência, de sua receptividade e de sua busca diligente pelas realidades espirituais.

         No que concerne à questão do batismo do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA), conforme o termo é usado em trechos como 1Co 12,12.13 e 1 João 2,20.27, esse é o batismo que unifica todos os crentes, vinculando-os uns com os outros. Essa é a operação fundamental do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) na comunidade da Igreja messiânica (o livro traz cristã) mas como entendo o termo errôneo pois o correto é Christós então coloco o grifo meu como (messiânico – seguidores do Messias) – grifo meu; pois como a mesma ele infunda em todos os crentes algo da realidade que Cristo (Christós) é, assegurando-lhes o seu destino apropriado, como discípulos seus. Todavia, se todos bebem assim do Espírito (Rúkha), por outro lado, no tocante à questão de alguma dádiva especial, como preparação para o serviço cristão (messiânico), dotação de poder e de dons espirituais, como o falar em línguas e outras manifestações (segundo o parecer de muitos, nem sempre há o acompanhamento do falar em línguas, nossas manifestações especiais), é mister que se diga que nem todos os crentes são assim “batizados”.

Escrito por anselmo.estevan às 00h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 4ª P.

         II Nomes do Espírito (Rúkha)

         Quais são os nomes que o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) recebe nas páginas do NT? Ele é chamado de: A) Espírito de Deus (Rúkha de Yaohu) [ver Rm 8,14]; B) Espírito de Cristo (Rúkha de Christós ou Yaohushua) [Rm 8,9]; o Espírito do Pai (Rúkha do Pai ou Rúkha de Yaohu) [ver Mt 10,20]; D) Espírito do Senhor (o correto: Rúkha de YHVH) [ver 2Co 3,17]; e, Espírito Santo {Rúkha Qadôsh} (Rúkha hol – RODSHUA) [ver Atos 2]; F) Espírito de sabedoria e revelação (Rúkha de sabedoria e revelação) [ver Ef 1,17]; G) Espírito de poder (Rúkha de poder); de amor e de bom senso [ver 2Tm 1,7]; H) Espírito de adoção ou de oração (Rúkha de adoção ou de oração) [Rm 8,15]; I) Espírito de santificação (Rúkha de santificação [ver Rm 1,4]; J) Espírito de vida (Rúkha de vida) [ver Rm 8,10]; L) Espírito de mansidão (Rúkha de mansidão) [ver 1Co 4,21] M) Espírito de consolo (Rúkha de consolo [ver Atos 9,31]; N) Espírito de glória (Rúkha de glória) [ver 1Pe 4,14]; O) Espírito de selagem (Rúkha de selagem), garantia da vida eterna [ver Ef 1,13.14]: P) Espírito de todas as bênçãos carismáticas cristãs (Rúkha de todas as bênçãos carismáticas messiânicas) [ver 1Co 12,4]; Q) Espírito da verdade (Rúkha da verdade) [ver João 14,27; 15,27; e 16,13]; R) Paracleto, Ajudador [ver João 14,16].

         III O Espírito (Rúkha) é uma Pessoa.

         Às obras e características desta Pessoa Divina.

 

         O Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é um ser vivo, dotado de personalidade própria, não sendo meramente uma influência ou emanação de Deus (Yaohu). Antes, é uma pessoa, claramente divina, que faz parte da trindade da deidade. (Ver João 14,16.17.26; 16,7-15 e Mt 28,19).

         1. Como o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é visto no AT? Ele é visto como: A) Uma pessoa divina, dotada de atributos divinos (ver Gn 1). B) compartilhou da obra da criação, o que nos pode dar a entender a sua onipotência (ver Gn 1,2; Jó 26,13 e Sl 104,30). C) dotado de onipresença (ver Sl 139,7). D) testifica aos homens no tocante ao pecado e à justiça (ver Gn 6,3). E) age como agente iluminador do entendimento humano (ver Jó 32,8). F) dota os homens de poder (ver Êx 28,3 e 31,3). G) aparece como o Espírito (Rúkha) de sabedoria (ver Jz 3,10 – 6,34; 11,29 e 13,25). H) inspira as declarações divinas e as profecias (ver Nm 11,25 e 2Sm 23,2). I) É um agente que ajuda aos servos de Deus (Yaohu) [ver Sl 51,2; Jl 2,23; Mq 3,8 e Zc 4,6]. J) é santo e bom (ver Sl 51,11 e 143,10). I) age como juiz (ver Is 4,4). M) possui os atributos de sabedoria, entendimento, conselho, poder, bondade, conhecimento, e inspira o temor de Deus (Yaohu) [ver Is 11,2]. N) influencia e vem habitar nos homens em ocasiões especiais, para realizar propósitos

Escrito por anselmo.estevan às 00h33
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 5ª P.

especiais, não o fazendo permanentemente (ver Sl 51,11; não havendo nenhuma indicação no AT de que o Espírito (Rúkha) descesse sobre qualquer pessoa, exceto os profetas ou outros indivíduos de importância, para alguma finalidade específica). O) a influência do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é vista atuante em três níveis, no AT, a saber: I, no nível intelectual (ver Êx 28,3; 35,3.31; Dt 34,9); II, no nível moral (ver Sl 51,11; Is 63,10 e 143,10); III, no nível espiritual ou religioso (ver Os 9,7; Ez 2,2 e 3,24). P) o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) foi prometido para uma nova dispensação futura, em que se manifestaria de outras formas, a tal ponto que, nos tempos do Messias, ele seria derramado sobre “toda carne” (ver Joel 2,28ss).

         2. Como o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é visto no NT? Em face do fato de que o Novo Testamento se alicerça sobre o Antigo , é natural que a nova dispensação comparti-lhe, em termos gerais, das idéias da antiga, ainda que com algumas adições e esclarecimentos.

         A) Em relação a Cristo (Christós), o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é visto na concepção da Virgem Maria (ver Mt 1,18-20 e Lc 1,23), é visto como aquele que ungiu e fortaleceu a Cristo (Christós), quando de seu batismo, para que ele pudesse dar início à sua missão especial como o Messias (ver Mt 3,16).

 

{Grifo meu: veja a seguir um estudo a parte de que apareceu um vídeo na internet.... falando que o Espírito Santo não existe!!! Veja que provo ao contrário!!!! E, principalmente pelo descrito acima – “da virgem Maria! O que então a agraciaria???”. Se não fosse pelo Espírito Santo??? Veja logo abaixo esse estudo de minha particularidade aparte desse estudo.... material tirado da Bíblia de Estudo: “Plenitude” – Edição com letras vermelhas R e C da SBB.}:

        

         Pela queda do homem Gn 3,15; o Filho não mais apareceu pela desobediência do “homem” – vindo a retornar somente no “NT” para unir novamente, pelos sacrifícios de morte, - o “povo humano” com Deus Yaohu – em Espírito! Sendo assim, Ele volta para o Pai (...)! E reenvia o Rúkha hol RODSHUA para ficar com os que são dele como um “selo”! Quando, sua Igreja “Subir” – O que ainda detém a maldade no mundo – será removida: O Espírito Santo: Gn 1,2 – AT. Uma só vez! Às outras são no NT – onde Ele se mostrará aos Apóstolos NÃO AO MUNDO POIS NÃO CRIA NELE.: Mt 7,7.8; Mc 1,8; 3,29; Jo 14,16.26 – (Jo 14,15-30). João 14,22-23: Disse então Judas [não o Iscariotes]: “Senhor, mas por que te revelarás a nós e não ao mundo?”

Escrito por anselmo.estevan às 00h32
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 6ª P.

         Respondeu Yaohushua: “Se alguém me ama, obedecerá à minha Palavra meu Pai o amará, nós viremos a ele e faremos morada nele. (...). Sendo assim, no “AT” não o conheceram por este motivo: Desobediência a Palavra!!! E somente pelo “Evangelho” – Ele seria conhecido a 3ª Pessoa da TRINDADE! Mt 24,15; Mc 13,14; Dn 9,20-27 (Lv 26,14.21.24.28); Ap 11,2; 12,6.14; Dn 8,13; 11,31; 12,11 – TOMAR O MÁXIMO DE CUIDADO PARA NÃO CAIRDES EM: “2Ts 2,1-12!” (Jo 16,8-15!!!!)? Quem? Tome cuidado com isso: “Mt 24,15-27” (preste atenção no que o Filho fala MATEUS 24,24-25! VEJA: 2Ts 2,9; 2Tm 2,19; 1Pe 4; Fp 1!!!!! 1Co 3,11: PELO MOTIVO DE SURGIR FALSOS CRISTOS... ENTRETANTO, O FIRME FUNDAMENTO DE DEUS YAOHU PERMANECE, TENDO ESTE SELO: O YHVH CONHECE OS QUE LHE PERTENCEM. E MAIS: APARTE-SE DA INJUSTIÇA TODO AQUELE QUE PROFESSA O NOME DE YHVH!!!!!!!

         1Co 2,6-16. (Reflita sobre 1Co 2,9-10; 14). Por isso mesmo sou cuidadoso com 1Co 1,17. Mas procuro com afinco à: “1Co 1,18 – 2,16; 3,18-23” – reflita sobre isso ok! Observe: 1Co 2,1.4.13!

         ELE MANTÉM UM RELACIONAMENTO COM PESSOAS HUMANAS: ELE PODE FICAR ENTRISTECIDO: EFÉSIOS 4,30. MENTIRAM PRO “E.S.” -  ATOS 5,3 E O BLASFEMARAM MATEUS 12,31-32.

         Cuidado com a Filosofia mundana não se conforma com ele (Cl 2,8): Aqui mora o perigo! Cuidado. [Rm 16,17; Ef 5,6; etc.].

         Is 61,1 – Is 11,2:

         Isaías 11,2: Repousará sobre Ele o Rúkha veio de maneira poderosa sobre os crentes – especialmente sobre seus líderes – no Antigo Testamento (p. ex., Moisés [Nm 11,17], os anciãos [Nm 11,25-26], Josué [Dt 34,9], os juízes [Jz 3,10.11.29; 13,25], os reis [1Sm 10,6; 11,6; 16,13; 2Sm 23,2] e os profetas [1Sm 10,10; 2Sm 23,2; 1Rs 22,24; Mq 3,8]).

         O Rúkha que estabeleceu o Reino de Deus Yaohu (veja Gn 1,2; Jz 3,10; 6,34; 1Sm 10,6).

         Este material é tirado da Bíblia de estudo de Genebra! (Isaías).

         Aqui, coloco meu grifo: COMO SABEMOS A ESCRITURA FALA QUE NADA TERIA SIDO FEITO SEM O FILHO QUE É A PALAVRA E SE FEZ CARNE! (Jo 1,1-4). Ok. O “Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) – estava no princípio! E por “Ele” – tudo se fez por ordem do Pai Yaohu! Agora, todo o descrito acima – é obra do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA)!!!!! Mas, com a citação de João 1, muitos vem a crer que somente pelo “Filho” – tudo veio a acontecer.....!!!! Querendo desmentir a “TRINDADE” – como vídeos que circulam na internet!!! Então quero que expliquem: “SE ESTÃO FALANDO QUE A TRADUÇÃO DA “BÍBLIA” – TÊM MAIS DE 2500 ERROS....!!!!! Como fica: EXATAMENTE ESTA PASSAGEM (Lc 1,28-38; Mt

Escrito por anselmo.estevan às 00h30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 7ª P.

1,20; Mt 1,18)”???? Ok! Então se falam que o Espírito (Rúkha) é o “Filho” – e o Filho é Deus Yaohu – como explicar o fato de: “Maria” e “Isabel”???? DESMENTEM DESCARADAMENTE O PAI e o FILHO!!!!”.

         Por isso mesmo, temos que ter uma “TESTEMUNHA” OCULAR – A 3ª PESSOA DA TRINDADE!!!! [ESTRANHO. POIS, O DEUS PAI É CHAMADO E TEM O TÍTULO DE: “SENHOR!”. O FILHO QUE TAMBÉM É DEUS RECEBE O MESMO TÍTULO OU NOME DE: “SENHOR!” MAS O ESPÍRITO SANTO??? NÃO RECEBE NEM O TÍTULO NEM O NOME????!!!! ENGRAÇADO! APESAR DE SER UM TERMO PAGÃO MAS SÓ PARA O PAI E FILHO!!? REFLETIMOS SOBRE TESTEMUNHAS: Dt 17,6; Mt 18,16; At 2,32; 2Co 13,1; Hb 12,1; Ap 1,5; 3,14; 11,3; 17,6].

         Voltando ao estudo:(grifo meu): Sabedoria [1Rs 3,9]. O Messias possuiria exatamente essa sabedoria. ENTENDIMENTO (Pv 4,5.7; 9,10; 23,23) que emanam da sabedoria divina. CONSELHO. O Messias já fora chamado de “Maravilhoso Conselheiro” (9,6). Fortaleza (9,6). Conhecimento (33,6; 44,19.25; 47.10; 53,11). Esse estudo é para reafirmar que o ESPÍRITO SANTO EXISTE INDEPENDENTE DOS ERROS COLOCADOS NA BÍBLIA!!!! COMO CORRE VÍDEO NA INTERNET e no YOU TUBE!!!!!!!!!!!! (Falando que a 3ª Pessoa é invenção de homens...!). ANSELMO ESTEVAN.

         Voltando ao estudo anterior: (Mt 3,16). Também o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é visto como o agente capacitador de Cristo (Christós) em seu labor, maneira de andar e serviço (ver Lc 4,1.14), como a força ressuscitadora (ver Rm 8,11) e, desde então até o presente, na qualidade de “alter ego” de Cristo (Christós) neste mundo, o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é visto a realizar a obra de Cristo (Christós), como sua testemunha poderosa (ver João 15,26; 16,8-11.13.14).

         B) Em relação a todos os homens o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é visto como uma força influenciadora universal, que testifica sobre o pecado, a retidão e o julgamento. Ele controla o mal que há no mundo e convence os homens do pecado, atuando sobre todos os homens através de sua influência, personalidade e presença (ver João 16,7-11). Podemos supor que o mundo seria intoleravelmente mau, não fora à influência do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA), que constrange a iniquidade inerente nos homens.

         C) Em relação à Igreja, o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é visto como o único que pode regenerar a uma alma, mediante seu toque operador e transformador (ver João 3,3-5). Todos os crentes, portanto, devem possuir o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) [ver Rm 8,9], ainda que a

Escrito por anselmo.estevan às 00h29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 8ª P.

sua influência varie grandemente de um crente individual para outro, dependendo isso exclusivamente de como cada qual permite que o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) o controle (ver Atos 2; Ef 1,13.14 e 5,18). É igualmente o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) que forma a unidade da Igreja, em um corpo (ver Mt 16,18; Hb 12,23 e 1Co 12,12.13, o que pode ser chamado de “batismo”, ainda que não se trate de um batismo da mesma natureza com que o crente individual pode ser batizado). E é desse modo que a Igreja se torna O TEMPLO DO ESPÍRITO (Rúkha), seu lugar especial de manifestação (ver 1Co 3,16.17). A presença habilitadora do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA), entre os crentes, deve ser contínua e perpétua (ver João 14,16). Essa presença habilitadora produz frutos no crente, semelhantes à natureza moral positiva de Deus (Yaohu) [ver Gl 5,22.23]. O alvo precípuo da implantação dos frutos do Espírito (Rúkha) no crente, bem como de todas as suas operações na alma, é o de transformar os crentes segundo a imagem de Cristo (Christós), nos termos mais literais possíveis, de tal modo que estes venham a compartilhar da natureza moral e metafísica essencial de Cristo (Christós) [ver Rm 8,29; Ef 1,23 e 2 Co 3,18]. E, sendo o Espírito (Rúkha) aquele que nos impulsiona na direção desse alvo, ele é o intercessor em favor dos crentes, orando naquilo que o crente nem ao menos é capaz de proferir, visando o benefício dos mesmos (ver Rm 8,2-17). O Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é igualmente a garantia da herança que os crentes têm em Cristo (Christós) [ver Rm 8,15-17]. No funcionamento das Igrejas locais, o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é o distribuidor de todas as manifestações carismáticas espirituais (ver 1Co 12 – 14).

         3. Os símbolos do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) são os seguintes: A) O azeite (ver João 3,34 e Hb 1,9). B) A água (ver João 7,38.39). C) O vento (ver Atos 2,2 e João 3,8). D) O fogo (ver Atos 2,3) E) A pomba [descer como pomba! Pousar. Grifo meu] (ver Mt 3,16). F) O selo (ver Ef 1,13 e 4,30). G) O pagamento inicial ou garantia (ver Ef 1,14).

         4. O Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é o terceiro membro da Trindade santa (ver as notas expositivas referentes a João 5,6 no NTI).

         “O pano de fundo sobre o que Paulo tem a dizer concernente ao Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) tem bases no AT. Ali o Espírito (Rúkha) aparece como o ‘sopro de Deus (Yaohu)’, no sentido de ser a presença de Deus (Yaohu) ou o poder de Deus (Yaohu) como algo visível e operante no mundo. Somos informados de que o Espírito (Rúkha) de Deus (Yaohu) pairava por sobre o caos primevo (ver Gn 1,2); que os profetas foram iluminados e fortalecidos pelo Espírito (Rúkha) [ver 1Sm 10,10, além de muitas outras referências]; que ninguém é capaz de fugir da presença do Espírito (Rúkha) de Deus (Yaohu) [ver Sl 139,7]. O Espírito (Rúkha) de Deus

Escrito por anselmo.estevan às 00h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 9ª P.

(Yaohu) é a presença auto-autenticadora do poder de Deus (Yaohu). É ensinado no AT que o Messias seria especialmente dotado pelo Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA). E a nova dispensação, que Cristo (Christós) inauguraria haveria de ser uma era do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA). Ora, um dos fatos mais certos e íntimos da primitiva comunidade cristã (messiânicos) é que ela vivia em um ambiente de manifestações do Espírito (Rúkha). Esse Espírito (Rúkha) se apresenta tanto como o Espírito (Rúkha) eterno de Deus (Yaohu) quanto como o Espírito (Rúkha) de Jesus (Yaohushua), - que era relembrado como companheiro e Mestre. A possessão do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA), pois, era considerada o selo da ressurreição e o sinal seguro de que a nova era de fato começava. O Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é como o pagamento inicial da glória futura, - que, portanto, deixa de ser assim inteiramente futura. O Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) [descrito em Rm 5,5 como ‘amor de Deus (Yaohu)...derramado em nossos corações’] é, portanto, a base empírica da fé e da esperança. Ele é a garantia tanto da significação do que ocorreu (isto é, a morte e ressurreição de Jesus (Yaohushua), bem como a justificação dos crentes) como da realidade do que ainda acontecerá (ou seja, à volta de Cristo (Christós) e a nossa total libertação do poder do pecado e da morte). É o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) que reúne todas as peças componentes daquele acontecimento e que denominamos de revelação em Cristo (Christós), transpondo o hiato entre o passado e o futuro, o que, até este ponto, com tanta freqüência tem aparecido como importante característica e elemento do “pensamento Paulino”. (John Knox, na introdução ao oitavo capítulo da epístola aos Romanos).

         IV Sumário de Qualidade e Atribuições

         Um sumário de ensino bíblico sobre as qualidades e atribuições do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA), seria mais ou menos o seguinte: 1. Ele é o Espírito (Rúkha) de Deus (Yaohu) [ver Rm 8,14]. 2. O Espírito (Rúkha) de Cristo (Christós) [ver Rm 8,9]. 3. O Espírito (Rúkha) do Pai (ver Mt 10,20). 4. O Espírito (Rúkha) do YHVH (ver 2Co 3,17). 5. O Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) [ver Atos 2]. 6. O Espírito (Rúkha) de sabedoria e revelação (ver Ef 1,17). 7. O Espírito (Rúkha)  de poder, de amor e de bom senso (ver 2Tm 1,7). 8. O Espírito (Rúkha) de adoção e de oração (ver Rm 8,15). 9. Espírito (Rúkha) de santificação (ver Rm 1,4). 10. O Espírito (Rúkha) de vida (ver Rm 8,10). 11. O Espírito (Rúkha) de mansidão (ver 1Co 4,21). 12. O Espírito (Rúkha) de consolo (ver Atos 9,31). 13. O Espírito (Rúkha) de glória (1Pd 4,14). 14. O Espírito (Rúkha) de selagem, a garantia da vida eterna (ver Ef 1,13.14). 15. O Espírito (Rúkha) de todas as

Escrito por anselmo.estevan às 00h27
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 10ª P.

manifestações cristãs (messiânicas) carismáticas (ver 1Co 12,4). (Extraído do comentário de Lange).

         V. Espírito (Rúkha) de Verdade

         João 14,17; a saber, o Espírito (Rúkha) da verdade, o qual o mundo NÃO PODE RECEBER; PORQUE NÃO O VÊ NEM O CONHECE; MAS VOS CONHECEIS, PORQUE ELE HABITA CONVOSCO, E ESTARÁ EM VÓS.

         “...O Espírito (Rúkha) de verdade, que o mundo não pode receber...” o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) é chamado de Espírito (Rúkha) da verdade por causa dos seguintes pontos:

         1. Ele vem de Deus (Yaohu) e representa a verdade de Deus (Yaohu), a fonte de toda a verdade. Ensina os homens a verdade de Cristo (Christós – o Messias).

         2. Ele é a revelação especial e a iluminação da verdade do “Logos” ETERNO.

         3. Ele é o revelador da verdade de Jesus (Yaohushua) em sua encarnação, bem como de sua manifestação entre os homens, isto é, das verdades que ele veio desvendar, visando o benefício da humanidade, por causa do ministério terreno de Jesus (Yaohushua), o “Logos” ENCARNADO.

         4. Ele torna a verdade objetiva (a verdade divina) subjetiva para os homens, transmitindo-a para eles e fazendo-os compreenderam-na. Essa aplicação consiste particularmente na iluminação da plena verdade de Deus (Yaohu), segundo ela tem sido revelada em Cristo (Christós), para benefício dos homens.

         5. Em sua própria pessoa ela é a verdade, porquanto ele mesmo é Deus (Yaohu), sendo especialmente por seu intermédio que os homens estão sendo transformados, para que venham atingir com êxito o seu destino como homens. Ele é a verdade metafísica revelada aos homens, porquanto produz essa revelação nos homens, administrando a vontade de Deus (Yaohu) Pai. Ele produz em nós aquela transformação ética diária, e é através dessa operação que ele produz a transformação metafísica do ser humano, a fim de que os remidos se tornem participantes da natureza divina. (Ver 2Co 3,18).

         Além da presente referência ao Espírito Santo (Rúkha hol RODSHUA) , chamando-o de “Espírito de verdade” (Rúkha de verdade), também vemos essa verdade exposta nos trechos de João 15,26; 16,13; e 1 João 4,6.

         6. Entre as cinco afirmativas atinentes do divino Ajudador, três chamam-no de Espírito da verdade (Rúkha da verdade): João 14,17; 15,26; e 16,13.

         Cristo (Christós) era a verdade, João 14,6.

Escrito por anselmo.estevan às 00h27
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 11ª P.

         Aquela fé religiosa que negligencia a Cristo (Christós), ou lhe confere posição inferior à que ele tem no NT, é falsa. Ver Gl 1,8.9.

         O Espírito (Rúkha) será o agente que conduzirá os homens a Cristo (Christós), aqueles que o Pai lhe deu. Ver João 15,26.

         7. Na qualidade de “Espírito da verdade (Rúkha da verdade), o divino Paracletos guiaria os remidos a “...toda a verdade....” “Tenho ainda muito que vos dizer...” Isso teria lugar quando da continuação da obra de Cristo (Christós) no mundo e nos corações de seus discípulos, mediante o ministério do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA), antes e depois de sua ascensão aos lugares celestiais.

         VI Testemunha da Salvação dos Crentes:

         Rm 8,16: O Espírito (Rúkha) mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus (Yaohu).

         “...O próprio Espírito (Rúkha) testifica com o nosso espírito (rûah) que somos filhos de Deus (Yaohu)...”, O Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) contínua em foco em Rm 8,16, e não o espírito (rûah)  humano ou o homem interior. Embora o Espírito (Rúkha) de Deus (Yaohu) é quem dê testemunho da filiação dos crentes, é o espírito (rûah) humano que recebe esse testemunho.

         “...testifica com...”. Essas palavras que o Espírito (Rúkha) de Deus (Yaohu) reforça e acompanha o testemunho já existente no homem interior.

         É devido a essa consciência de filiação que tem origem divina, que os crentes aprendem, de maneira bem real, a chamar Deus (Yaohu) de “Abba, Pai”. Um indivíduo qualquer pode ter alguma inclinação para invocar a um poder superior, como se pedisse auxílio de seu pai, mas é o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) que produz, no crente, o conhecimento espiritual e a intima convicção dessa realidade, assegurando-lhe que Deus (Yaohu), o mais elevado de todos os poderes, é seu Pai, espiritualmente falando. Isso assegura a consciência não somente da dignidade de sua posição, mas também da natureza de sua transformação segundo a forma de vida divina. Ver Ef 3,19.

         O trecho de Gl 4,6 é um paralelo quase exato deste versículo. Ali vemos que o Filho foi enviado por Deus (Yaohu) Pai com o propósito distinto de criar, no coração humano, o clamor que diz: “Abba, Pai”.

         A certitudo gratiae, ou seja, a “certeza da graça”, tem sido corretamente deduzida deste versículo, contrariamente ao parecer daqueles que pensam que ninguém pode ter real certeza de que está “salvo”, ou que tem sido levado à justificação e à regeneração por meio da graça divina.

         Testes de confirmação.

Escrito por anselmo.estevan às 00h26
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 12ª P.

1. O próprio impulso íntimo que nos impele a considerar Deus (Yaohu) como nosso Pai, invocando-o como tal.

         2. A consciência que disso temos, intuitiva, e não racional, mas nem por isso, irracional.

         3. A “comunhão” assim criada, e isso com Deus (Yaohu) Pai e com Deus (Yaohu) Filho, o que pressupõe um contacto espiritual genuíno. (Ver 1 João 1,3).

         4. A comunhão que é criada entre nós e os outros crentes, em um profundo amor, formando uma espécie de laço familiar. (Ver 1 João 1,7).

         5. Um andar santo, em que há vitória sobre o pecado, apresentando por todo o oitavo capítulo da epístola aos Romanos, bem como no trecho de 1 João 1,7.

         6. A importantíssima consciência de que o alvo dessa nossa comunhão é fazer-nos semelhantes ao Filho de Deus (Yaohu), sendo nós progressivamente conformados segundo a sua imagem, por obra e graça do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA). [Ver Rm 8,29 e 1 João 3,2, que são trechos que expressam esse mesmo conceito].

         VII. A Obra e a Orientação do Espírito (Rúkha)

         1. Os antigos títulos atribuídos ao livro de Atos, incluíam aquele sugerido por alguns dos primeiros pais da Igreja: “Atos do Espírito Santo” (Atos do Rúkha hol - RODSHUA). Esse livro pressupõe, do princípio ao fim, que o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA é a força dirigente do movimento dos primeiros missionários cristãos [messiânicos]).

         2. O Pentecostes (ver Atos 2), foi o princípio das operações do Espírito (Rúkha); e esse ato proveu para a Igreja o seu nascimento e o poder necessário para sua expansão.

         3. Por ser criador (ver Gn 1,26.27), o Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) também é capaz de realizar criações espirituais (ver 2Co 5,17) e assim sendo, ele é a força por detrás de toda a espiritualidade (ver Gl 5,22.23), a começar pela conversão (ver João 3,3).

         4. Ele dirige ativamente os ministros do evangelho (ver Atos 16,6.7.10).

         5. Ele santifica àqueles que converte (ver Rm 15,16).

         6. Ele exerce um ministério no mundo, e não apenas na Igreja (ver João 16,8-11).

         7. Ele é o mestre supremo (ver João 14,26).

         8. Glorificar Cristo (Christós) e promover a sua causa é o objetivo de seus esforços (ver João 15,16).

         9. Ele habita nos santos (ver Ef 2,20), tornando-os templos de Deus (Yaohu) e conferindo-lhes acesso a Deus (Yaohu).

         10. Ele ajuda-nos em nossas fraquezas (ver Rm 8,26).

Escrito por anselmo.estevan às 00h25
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 13ª P.

         11. Temos a capacidade de resistir ao Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) [ver Atos 7,51], bem como de entristece-lo (Ef 4,30).

         VIII. Autor de Inspiração

         Referências e ideias. A inspiração dada pelo Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA):

         1. A inspiração do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) foi predita (ver Joel 2,28 com Atos 2,16-18). 2. Toda a Escritura foi dada por ela (ver 2Sm 23,2; 2Tm 3,16 e 2Pe 1,21) [não a Bíblia mas a escritura sagrada] grifo meu. 3. O seu desígnio é revelar os acontecimentos futuros (ver Atos 1,16; Atos 28,25 e 1Pe 1,11). 4. É revelar os mistérios de Deus (Yaohu) [ver Amós 3,7 e 1Co 2,10]. 5. É conferir poder aos ministros (ver Mq 3,8 e Atos 1,8). 6. É dirigir aos ministros (ver Ez 3,24-27; Atos 11,12 e 13,2). 7. É controlar aos ministros (ver Atos 16,6). 8. É testificar contra o pecado (ver 2Rs 17,13; Ne 9,30; Mq 3,8 e João 16,8.9). 9. Seus modos de manifestação são diversos (ver Hb 1,1). 10. Por impulso secreto (ver Jz 13,15; 2Pe 1,21). 11. Por uma voz (ver Is 6,8; Atos 2,29 e Ap 1,10). 12. Por visões (ver Nm 12,6 e Ez 11,24). 13. Por sonhos (ver Nm 12,6 e Dn 7,1). 14. É necessária às profecias (ver Nm 12,6 e Dn 7,1; 20,14-17). 15. É irresistível (ver Amós 3,8). 16. Os desprezadores da inspiração do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) são castigados (ver 2Cr 36,15.16; e Zc 7,12).

         IX. O Espírito de Cristo é o Espírito de Deus (O Rúkha de: Christós [O UNGIDO] – {YAOHUSHUA} é o Rúkha de Deus [YAOHU]): Rm 8,9.

         Não se pode demonstrar, pelas Escrituras, que o “Espírito de Cristo” (Rúkha de Christós) não é o mesmo “Espírito Santo” (Rúkha hol – RODSHUA). Dá-se justamente o contrário, pois o Espírito de Deus (Rúkha de Yaohu) recebe muitas designações nas páginas da Bíblia, {Olhem que cita somente nas páginas da “Bíblia!” Não “na Escritura!!! Ok!”} Grifo meu, conforme também se vê claramente nas notas expositivas, no NTI, sobre o 1º vs. Deste capítulo. Este versículo requer a – identificação – desses dois termos, pois o texto mostra-nos que essas duas expressões são sinônimas. Ainda que deixássemos inteiramente de lado a porção final deste versículo, que encerra a referência ao “Espírito de Cristo” (Rúkha de Yaohushua – o UNGIDO [Christós] – o MESSIAS!), a primeira parte do mesmo já afirma que todos os crentes devem contar com a presença habitadora do Espírito de Deus (Rúkha de Yaohu), já que os verdadeiros crentes são descritos como pessoas que estão “no Espírito” (Rúkha), e não “na carne”. Esse “estar no Espírito” (Rúkha) é imediatamente esclarecido pelo próprio versículo como a presença habitadora do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA). É essa presença habitadora que faz o crente estar “no Espírito” (Rúkha), e não “na carne...” Toda essa verdade pode ser determinada sem fazermos qualquer

Escrito por anselmo.estevan às 00h24
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ESTUDO 14ª P.

vinculação ao “Espírito de Cristo” (Rúkha de Christós – o UNGIDO – Yaohushua). A sentença que diz que o Espírito de Cristo (Rúkha de Christós) está em nós foi acrescentada a fim de declarar a mesma verdade ao contrário, o que já havia sido afirmado direta e positivamente. Por conseguinte “estar no Espírito” (estar no Rúkha) significa contar com a presença habitadora do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA), pois, sem a presença habitadora do Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) {ou Espírito de Cristo} [Rúkha de Christós], o individuo não pertence a Jesus Cristo (Yaohushua Mashiach – o Messias), nem ao menos sendo um crente.

         Pondo para um lado todas as controvérsias, deve-se asseverar que o presente versículo ensina, bem especificamente, que o verdadeiro crente deve ter uma vida vitoriosa, algo que não pode ser conseguido pelos legalistas, porquanto é dentro do sistema da graça divina que o Espírito Santo de Deus (Rúkha hol – RODSHUA de Yaohu) é propiciado aos homens, a fim de neles habitar, com o resultado óbvio e necessário que andarão santamente na fé cristã (messiânica – seguidor do Messias!). Portanto, a graça divina exige um andar santo, dando-nos, igualmente, as armas necessárias para cumprimento desse alvo, longe de dar-nos licença para pecar. O crente é o templo de Deus Yaohu. O Espírito Santo (Rúkha hol – RODSHUA) purifica esse templo quando se muda para ali, a fim de que faça do crente a sua habitação apropriada. Porém, se esse templo não for limpo no sangue de Cristo (Christós) e através da regeneração do Espírito (Rúkha), não é possível encontramos o Espírito de Deus (Rúkha de Yaohu) ali abitando.

 

         Bem, resumidamente é isto! Agora para quem não acredita na terceira pessoa por não ter um Nome? Esta desacreditando também nas outras duas Pessoas. Sendo, assim, um Anti-Christós! Por isso cuidado!!!!! Anselmo Estevan.

 

         SOMENTE, NO INTUITO DE EVANGELIZAR, E, EVANGELIZAR CORRETAMENTE NOS NOMES PRÓPRIOS DA “TRINDADE”, AGUARDEM PARA BREVE, MAIS ESTUDOS: BLASFÊMIA CONTRA O RÚKHA hol – RODSHUA....! A TRINDADE: UM SÓ DEUS (YAOHU) OU TRÊS DEUSES....???? O RÚKHA hol – RODSHUA: TODOS OS CRISTÃOS (MESSIÂNICOS) TÊM O RÚKHA hol – RODSHUA....??? E (‘El) QUAL SEU SIGNIFICADO NO NOME – “DEUSES” QUE É “DEUS”????? AGUARDEM!

Escrito por anselmo.estevan às 00h23
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Perfil

Histórico

Outros Sites

Visitante Número